quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

E a Champions ali tão perto...

Nota prévia: qualquer jogador que represente o manto sagrado (leia-se equipamento com 3 estrelinhas - representando os 32 campeonatos nacionais que o Benfica ostenta - e o símbolo do Benfica) seja em que competição for, será sempre o Benfica que estará em campo e terá o peso da responsabilidade e o prazer de estar a representar a maior instituição portuguesa.

O tema do dia para os adversários do Benfica é a forma como o Benfica não conseguiu golear a equipa B, C, D, E do Barcelona.

Tito Villanova apresentou:

Rafinha: estreou-se este ano na equipa principal, sendo uma das estrelas da equipa B.
Carles Planas: estreou-se este ano na equipa principal, sendo um habitual titular da equipa B.
Sergi Roberto: jogou dois jogos a titular na Taça do Rei, sendo habitual titular da equipa B.
Gerard Deulofeu: uma das principais esperanças do futebol espanhol, essa escola de futebolistas que raramente traz valores relevantes para os principais escalões.
Cristian Tello: 15 jogos esta época na equipa principal do Barcelona.
Thiago Alcântara: 7 jogos esta época na equipa principal do Barcelona.
Depois temos os restantes elementos que compuseram os 11 (+3) que jogaram contra o Benfica: José Manuel Pinto, Carles Puyol, Martin Montoya, Adriano, Alex Song, David Villa, Gerald Piquê e Lionel Messi.

Tirando a posse de bola (que não me lembro nos últimos 3 anos do Barcelona ter perdido a liderança neste campo contra qualquer um dos adversários que enfrentou) o Benfica foi claramente superior ao Barcelona (B, C, D, o que lhe quiserem chamar).

O Benfica teve 6 oportunidades flagrantes, e não fosse o peso de jogar contra a melhor equipa do Mundo, ou qualquer outro factor que não me vem à memória qual possa ser, o Benfica poderia ter goleado os jogadores que tinham vestido a camisola azulgrana.

É verdade que o Benfica desperdiçou uma oportunidade única de fazer história frente à melhor equipa do Mundo, mas não é menos verdade que eu como Benfiquista fiquei deveras orgulhoso da prestação que os jogadores Benfiquistas, alguns ainda meninos de idade, como Melgarejo, André Gomes, Ola John, André Almeida ou Rodrigo tiveram!

A Champions é um capítulo fechado, com o desaire financeiro que isso implica, mas abre-se a janela da Liga Europa, e se eu gostava de ver uma conquista europeia pelo meu Benfica, fosse ela qual fosse, inclusivé contra o Barcelona B, C, D ou E...



Orgulho em ser Benfica!

1 comentário:

Joao Nisa disse...

O Benfica fez grande jogo. Contra o Barcelona não se podem é falhar tantas ocasiões. Ainda por cima o Celtic não joga uma beata e ganhou com um penalti, no minimo, duvidoso. Sem dúvida que será a equipa com quem toda a gente vai querer calhar na fase a eliminar.